assédio

Oi meninas… Vocês já perceberam que cada vez mais brincadeirinhas e piadinhas de mau gosto são menos aceitas? Mas quando devemos levar um caso para o tribunal na forma de assédio moral ou sexual, principalmente no ambiente de trabalho?

Muitas mulheres não denunciam os casos de assédio sexual por terem medo de uma demissão ou porque o processo é burocrático. Por exemplo, elas têm que informar à polícia dados como data de nascimento e número da identidade do agressor, o que dificulta a denúncia. Além disso, muitas vezes elas são apontadas como culpadas, por utilizarem a roupa X ou maquiagem e cabelo Y.

Por isso, caso a mulher não sinta segurança para denunciar o agressor, ela pode buscar a ajuda de um advogado trabalhista que pode auxiliá-la nos trâmites legais e também oferecer apoio em um momento tão delicado. O assédio sexual pode ocorrer de diversas formas, como:

  • Piadas obscenas;
  • Convites indecentes;
  • Comentários de cunho sexual;
  • Mensagens pornográficas;
  • Simulações de atos;
  • Olhares obscenos.

Como muitas vezes o caso é subjetivo, nem sempre a Justiça exige provas sobre o caso. O assédio sexual é um problema sério e deve ser coibido, com a denúncia sendo a melhor forma de evitar que o agressor continue com o assédio, seja com a mesma mulher ou com outra funcionária.

A mulher deve lembrar-se sempre que foi vítima do ato e que nada justifica tal forma de violência, mesmo que ela tenha sido apenas psicológica. O Código Penal brasileiro tipifica o assédio sexual como crime e como tal ele deve ser tratado, sem que a mulher se sinta coagida a não denunciar o agressor. Lembre-se, ele é um criminoso e deve pagar por isso.