A inflamação nos ovários, também chamada de ooforite ou ovarite, é uma condição médica na qual esses órgãos são atingidos por bactérias que causam um processo inflamatório na região. Normalmente ela é causada junto com a inflamação das trompas de Falópio, mas essa relação não é sempre identificada.

Mulheres diagnosticadas com a condição podem ter receio do agravamento da condição, no entanto, isso raramente acontece e o tratamento medicamentoso costuma ser suficiente para mitigar a inflamação e os sintomas dela. A seguir conheça mais sobre essa doença e como ela pode ser tratada.

Quais as causas da inflação nos ovários?

A ooforite pode ser causada por diversas bactérias, apesar da localização dos ovários que dificultam esse tipo de contaminação. Entre as bactérias que podem estar relacionadas com esse tipo de ocorrência estão:

  • estreptococos;
  • estafilococus;
  • gonococos;
  • bacilos do grupo coli.

As inflamações causadas por bactérias podem atingir um dos ovários ou os dois, sendo nesses casos conhecida como ooforite bilateral.

A doença também pode se manifestar de outra forma, quando o próprio sistema imunológico do organismo não reconhece o ovário e passa a atacá-lo. Nessas situações, a inflamação é chamada de ooforite autoimune.

Outra versão da doença é nos casos de recorrência da inflamação dos ovários, sendo conhecida como ooforite crônica. Quando não tratada, a patologia pode agravar-se e causar mudanças no ciclo menstrual e também infertilidade.

A presença de tecido endometrial – endometriose – fora do útero também é uma condição que favorece o surgimento de inflamações no ovário devido possibilitar glândulas ou estromas de endométrio nesses órgãos.

Para iniciar o tratamento é essencial que a mulher saiba reconhecer quais são os sintomas da inflamação nos ovários, pois apenas assim será possível procurar um médico para realizar o diagnóstico correto. Entre os sintomas estão:

  • febre recorrente;
  • vômitos e enjoos;
  • dores na área inferior do abdômen;
  • dores ao urinar;
  • dores durante as relações;
  • sangramento vaginal fora do período menstrual;
  • corrimento;
  • dificuldade para engravidar.

Os sintomas, apesar de importantes para um diagnóstico correto da enfermidade, são semelhantes a outras ocorrências reprodutivas, como inflamação das trompas de Falópio e endometriose. Portanto, apenas uma consulta com um ginecologista e exames adequados permitem um diagnóstico correto da condição.

Quais os tratamentos para ooforite?

Após o diagnóstico da inflamação nos ovários o ginecologista pode indicar uma série de remédios com o objetivo de combater a infecção. Assim, o tratamento mais recorrente para a ooforite é o medicamentoso que pode incluir:

  • antibióticos, como Amoxicilina ou Azitromicina por um período entre 8 e 14 dias;
  • anti-inflamatórios, como Ibuprofeno;
  • medicação para combater os enjoos, como Metoclopramida;
  • analgésicos para a dor, como Paracetamol.

Portanto, a conduta mais adequada para tratamento da inflamação de ovário consiste tanto no combate às bactérias que estão causando a infecção, como medicamentos complementares que tratem os sintomas associados.

Em casos mais graves da condição, como na ooforite crônica, o ginecologista pode indicar um tratamento cirúrgico que inclua a retirada dos ovários, caso a mulher não tenha mais desejo de engravidar.

Apesar de a medicação parecer acessível por ser usada no tratamento de outras doenças, apenas um médico poderá fazer o diagnóstico correto da inflamação nos ovários e prescrever o tratamento mais adequado para a situação, considerando o histórico da paciente e as particularidades do caso.