idosa fibrilação atrial

As mulheres não deixam de ser um público com alto potencial de desenvolver problemas cardíacos. Entre os fatores que levam a ocorrência de um caso de fibrilação atrial podem estar os aspectos hereditários, mas também os hábitos. Saiba um pouco mais sobre o que é a fibrilação atrial e como os maus hábitos podem interferir em aspectos cardíacos.

O que é fibrilação atrial?

A fibrilação atrial é uma frequência cardíaca irregular, normalmente muito mais rápida do que a normal, sendo identificada em cerca de 10% da população com uma faixa etária acima dos 70 anos. Esse problema está associado a sintomas como fadiga, palpitações e falta de ar.

Em casos nos quais é identificada a fibrilação atrial é porque a frequência cardíaca das câmaras superiores do coração não funciona em um ritmo de contração regular e com sincronia, sendo que os átrios fibrilam. Essa característica foi a responsável pelo nome dado ao episódio.

Como resultado da fibrilação atrial ocorre uma insuficiência no bombeamento do sangue para o restante do corpo, fazendo com que a pessoa acometida pelo problema sinta-se cansada com frequência, além de gerar um desconforto cardíaco, causado pelos batimentos acelerados.

Como o estilo de vida influencia na saúde da mulher?

Mulheres de diferentes idades sofrem a influência dos hábitos diários na saúde. Assim como em qualquer outra situação, as mulheres mais velhas tendem a sentir com mais intensidade as interferências dos costumes na disposição e saúde. Confira alguns fatores que devem ser observados desde a juventude até as idades mais avançadas.

  • Alimentação: esse aspecto será relevante em qualquer idade, podendo ter mais influência em mulheres de terceira idade. Diversifique a alimentação, não sendo necessário eliminar tipos de alimentos, mas comer moderadamente. O ideal é ter uma alimentação mais baseada em verduras, legumes, frutas, grãos integrais e frutos secos;
  • Atividade física: o cuidado com a saúde também exige manter o corpo em movimento. Realize atividades físicas com frequência e consulte um médico antes de decidir a atividade realizada para que ela não agrave possíveis condições de saúde;
  • Qualidade do sono: muitas pessoas não sabem, mas a qualidade do sono será determinante para que haja melhora na saúde e na qualidade de vida.
  • Maus hábitos: manter hábitos prejudiciais à saúde, como álcool em excesso, tabaco ou outros tipos de entorpecentes pode resultar em problemas de saúde precoces.

Então, mantenha as atividades em dia, uma alimentação saudável, durma, ao menos, 7 horas por noite e evite hábitos danosos à saúde. Todos esses aspectos irão ajudar a manter a qualidade de vida elevada. Não se esqueça, a fibrilação atrial só pode ser identificada por um cardiologista.