Olá meninas! Sim, o título ficou estranho (que me perdoe o Timbalada e a licença poética) mas é a atual situação de todos que moram na Grande São Paulo. Há meses estamos sendo alertados sobre a crise hídrica no Estado, mas em parte por omissão e em parte por desconhecimento, o problema está se agravando.

Finalmente a empresa responsável pelo abastecimento admitiu a gravidade da crise e apontou a possibilidade real de racionamento, com os absurdos 5 dias SEM ÁGUA e 2 dias COM ÁGUA. Será que não teria sido melhor iniciar esse corte no abastecimento antes?

Além da possibilidade do racionamento drástico, a companhia e empresas de tratamento de água tem diminuído a pressão da água em toda a cidade, o que leva à falta de um pingo sequer nas torneiras de diversos bairros. Para acompanhar a situação, a empresa passou a divulgar em seu site quais são os horários em que a pressão é diminuída em cada bairro: http://calculadoradesonhos.sabesp.com.br/GestaoPressao/Reducao.aspx.

cascão

Redes sociais em ação

Como toda desgraça que acontece, o tema falta de água já dominou as redes sociais e é um dos assuntos mais comentados, especialmente para quem mora nos locais mais afetados pela estiagem. Uma das hashtags criadas, #somostodoscascão, ironiza sobre o assunto de forma divertida e lúdica.

O portal do jornal O Estado de S.Paulo também criou uma hashtag para leitores divulgarem fotos e depoimentos sobre a crise hídrica: #SPsemagua. Tudo é reunido no site http://sao-paulo.estadao.com.br/redes-sociais/sp-sem-agua/.

E a chuva?

Atualmente, os pedidos para índios executarem a dança da chuva e para São Pedro ser bondoso têm sido extremos. Mas será que é essa a solução? Isso e ficarmos dias sem água e economizando enquanto existem inúmeros vazamentos na rede da cidade e empresas gastam água aos montes?

Precisamos sim repensar o desperdício e a poluição, mas que falta um pouquinho de dedicação por parte de nossos governantes, falta!